Carta Aberta nº 05 – Tia Neiva

565

Carta Aberta Nº 5

Salve Deus, Meu filho Jaguar:
Filho mente calma, significa personalidade e segurança. A nossa lição, exige preservar a fé; o pensamento incessantemente vigilante para não perder o equilíbrio. Lei que com freqüência traduzimos por maneiras diferentes, porem em estradas que se encontram no auto domínio em relação à mente.
É preciso saber discernir entre o que é importante e o que não é. Não se preocupe, também pelos diversos pensamentos e não se considere desequilíbrio os inúmeros pensamentos ligeiros que nossa Alma, quando anda a vaguear produz.
Não tenho capacidade de fazer uma analogia, porem gostaria que meu filho se sentisse a vontade, sem superstição e sentindo-se como se estivesse em uma imensa Nave, para uma viagem desfolhando o livro de sua própria história.
É a realidade da vida. E então quando a historia termina fechamos o livro e desembarcamos. Para onde? Poderás me perguntar! E eu ti direi, que pelas passagens na tua história, saberás o que te preservarás. Deus nos deu inteligência e o poder, que fala pelas vibrações. Preste atenção na tua historia, e veja se na lei do auxílio, algo poderás mudar.
Meu filho, nenhum homem pode ser feliz se estiver rodeado de vibrações e discórdia. As forças vibratórias aos que estão em harmonia com os poderes superiores, forças de vibrações harmoniosas, são também mais fortes transmitidas pela Leio de Auxílio.
Veja, na maioria reclamamos sentindo-nos injustiçados, só conhecemos quando estamos sendo vibrados, e nem um só vez, nós lembramos de fazer um exame de consciência, para ver se não estamos fazendo alguma injustiça. Saiba que o maior desajuste é o julgamento.
A preocupação de estar sendo vibrado acaba por vibrar no outro, que nada tendo contra, se isenta, voltando contra ti mesmo. Quantas vezes, eu consulto pessoas que me afirmam estarem sendo vibradas, no entanto, elas mesmas “captam” as más influências; porque sem qualquer análise vão se jogando contra os que dizem ser os seus inimigos.
Ontem, ouvi no Canal Vermelho um casal desquitado que tinha oito filhos. Presenciei o triste quadro, alguém teria que desencarnar a jovem senhora, porque suas vibrações não deixariam seu marido ganhar dinheiro para criar os filhos missionários, que precisavam viver. A cura dos doentes apenas é passageira. Não te preocupes; preocupes somente, em preservar a saúde.
Esta preservamos com a conduta doutrinária. É considerado falta de honestidade, as pessoas que se isentam da culpa que produz a Lei de Causa e Efeito, e fica acusando este ou aquele, que por ventura passou em sua vida. Este fato esta se evidenciando muito na mãe abandonada pelo pai do seu filho, inverte a linda mensagem ser Mãe!
Não se compenetra, não percebe os prazeres de sua juventude, vê apenas, pai e filho como uma arma apontada no peito, por outro lado, o pai responsabiliza seus insucessos à família abandonada.
Abandonada que em casos partem destes conceitos vibracionais ou conceitos estes, sobre as vibrações. Eu já estou habituada com esta espécie de consultas. Tia! Encontrei esta criançinha abandonada e gostaria que a senhora ficasse com ela. Eu tenho uma filhinha como esta, porém minha mulher é quem cria.
Oh Tia! Olhe também por ela, soube que esta até passando fome, o meu coração doe com estas coisas. Penso! Eu vou internar aquela criança, vou sofrer, vou trabalhar para sustentá-la; então poderia dizer: se tinha amor! Porque a deixou partir? Volto ao desequilíbrio das vibrações.
Internei a criançinha, sorrindo, sem nada dizer; pensando, realmente, eu vim para ensinar e não corrigir o que já esta feito. Mudar a filosofia de um homem é o mesmo que ter a pretensão de transformar a natureza. Aquela criança não podia ser abandonada também por mim. O homem e a mulher enciumados, vão deixando morrer os filhos. A guerra não destrói o homem. “O que pode destruir o homem” é o mais frágil, e o mais belo de toda criação, é o coração de nossa própria mãe.
Filho, amando sem qualquer pretensão, entrego a Jesus os meus olhos para que os tire se por vaidade negar este imenso amor.
A mãe em Cristo.
Tia Neiva. (Em, 21-10-77.)