Apará

983

apará

QUE É O APARÁ

Salve Deus
 
 
ALMA LIVRE EVOLUÍDA! é o MESTRE APARÁ, que rompe o véu da Ciência, dos preconceitos, que transporta o transcendente, prescruta a alma, descreve com clareza e precisão. Quando mais simples, mais perfeito exemplo de amor do extrasensorial; cientista, se expande com fenômenos inexplicáveis dos surdos e mudos. É também a dor para os que desejam prova. É mais verdadeiro do que pensamos, pois o mundo é o seu cenário, onde desenrola os dramas da vida e da morte. Quando desejo explicar na minha clarividência, surge um foco diferente: é fenômeno especial.
Cada APARÁ é um ator diferente que exige seu cenário de acordo com o seu padrão. Com o auxílio de minha clarividência, vai além do impossível, o que não pode ser descoberto. Sua maravilha e distinção é que o APARÁ não dipõe de sua inteligência, vê-se tudo por natureza. Além, está impossível, muito menos descobrir, nem sequer pode ser pressentido pela inteligência, mesmo sendo a mais perspicaz servida por microscópio. Perfeito, constituído como é o APARÁ até agora.
SALVE DEUS MEU FILHO APARÁ, fui ate onde me era possível, até onde me era possível, onde minha pobre analogia pode chegar, prevendo outras buscas de Evolução. Alma humana que provém de seitas ou de escolas, somente Castro Alves nos recorda com a figura do magestoso “NAVIO NEGREIRO”, que entre mil versos diz:
 
 Auriverde pendão da minha terra,
Que a brisa do Brasil beija e balança,
Estandarte que a luz do sol encerra,
E as promessas divinas de esperança.
 
Era um sonho dandesco… O tombadilho,
Que das luzernas avermelha o brilho,
Em sangue a se banhar.
Tinir de ferros… estalar de açoite…
Legiões de homens negros como a noite,
Horrendos a dançar…
 
Um de raiva delira, outro enlouquece…
Outro, que de martírios embrutece,
Cantando, geme e ri!
 
Foi então que neste quadro dantesco de dor, apareceu a figura de Nossa Senhora Da Conceição “APARÁ”; compadecia, chegava sutil e falava naquela era sofrida aqueles que por Deus ali estavam, sem carinho, sem esperança e sem amor. APARÁ, APARÁ; era como a chamavam. Ela manifestava entre eles dando força, soprando suas feridas. APARÁ! Hoje és na tradição deste exemplo, deste amor.
APARÁ, MEU FILHO APARÁ! Não esqueças, que outrora, na dor, Nossa Senhora Apará dos poderes infinitos, nunca ensinou a ira; muito menos a vingança ou riqueza, e sim humildade, a tolerância e o amor.
É tudo, filho querido do meu coração, que na tua graça singular é a história que ficou. Os teus poderes são todos os que disse, este pouco que pude dizer.
 
 
Com carinho, a tua Mãe em Cristo Tia Neiva
Vale do Amanhecer   (Tia Neiva, 23.1.79)
 
 

“Forçar a incorporação de um médium é virar uma página e limitar a sua lição. A faculdade mediúnica é força própria, individual. Cada um a acumula à sua maneira. O médium que não dá sua própria mensagem é um falso profeta!”  (Tia Neiva, s/d)

“Não é justo, filho, depois da incorporação, ficar em dúvida: Será que incorporei? Será que foi o Preto Velho ou o Caboclo? Não foi somente uma impressão minha? Isso é triste para os nossos Mentores, que se apressam para que saia tudo com a precisão do Espírito da Verdade.

Trata-se de um conjunto, de um ritmo de aparência de encantos, de energia.

Não podemos designar este sentimento de amor. É o coroamento das virtudes, é muito mais científico do que pensamos.

Quando solicitada uma incorporação, uma enorme e complexa força se faz em nós.

Seriam bastantes os cruzamentos destas forças para a cura desobsessiva, quanto mais que sabemos da presença de Caboclos e Pretos Velhos.”  (Tia Neiva, 8.4.79)

CANTO DO APARÁ

Senhor! Nesta bendita hora, venho Te pedir a permissão para melhor me conduzir à mesa redonda do Grande Oriente de Tapir!Que as forças dos Veterano Espíritos me conduzam e me ilustrem,Para melhor servir nesta era para o Terceiro Milênio!Senhor! Sinto a transformação do meu espírito e,Para que eu possa trabalhar sem dúvidas, tira-me a voz, quando, por vaidade, enganar aos que por mim esperam…Não permita, Senhor, que forças negativas dominem a minha mente!Faze, senhor, com que somente a verdade encontre acesso em todo meu ser!Faze-me instrumento da Tua paz! Ilumina a minha boca,Para que puras sejam as mensagens do céu por mim!Ilumina, também, as minhas mãosNas horas tristes e curadoras, e para sempre!…Juro seguir as instruções dos mestres doutrinadores,Veteranos desta doutrina do amanhecer!Faze-me instrumento da Tua Santa Paz!A partir de então viverás em meu íntimo,E serei sábio para melhor Te servir!…Este é o teu sangue que jamais deixará de correr em todo o meu ser!Salve Deus!

PRECE DO APARÁ
Jesus! Não permita que forças negativas dominem a minha mente!Que somente a verdade encontre acesso em todo o meu ser…Faze-me perfeito instrumento de tua Paz! E para que eu possa trabalhar sem dúvidas,Tira-me a voz quando, por vaidade, enganar os que me cercam…Ilumina a minha boca para que puras sejam as mensagens do céu por mim!Ilumina, também, as minhas mãos Nas horas tristes e curadoras e para sempre!…Jesus! Ninguém, jamais, poderá contaminar-se por mim!Salve Deus!

“Uma faixa magnética não passa pelo médium de incorporação sem a puxada do Doutrinador ou sem o devido consentimento do mesmo. O Doutrinador iniciado é mais útil ao trabalho do que mesmo os próprios guias, que, para terem um trabalho eficiente, o fazem com as ordens dos Doutrinadores, aos quais respeitam e acatam. O médium de incorporação é um simples instrumento. Ele não tem, absolutamente, condições de fazer um trabalho perfeito ou dar uma comunicação perfeita sem a presença e cuidados de um Doutrinador. Nos meus olhos de clarividente, não vejo condições curadoras sem esta perfeita manipulação de forças e de ectoplasmas. Existem muitas comunicações perfeitas entre nós, graças a Deus! Temos médiuns perfeitos! Quando o médium se mostra com toda euforia para a incorporação, começam a se esgotar suas energias, e sua comunicação fica perigosa porque seu ectoplasma entra em decadência, não mantendo uma conjunção com o Doutrinador. A função dos espíritos que labutam no nosso trabalho profissional é conjugar os ectoplasmas para a realização de curas. O médium que recebe espíritos sem qualquer disciplina própria poderá acertar uma profecia, porém aqui tratamos com profissionais e, como tal, exigimos essa disciplina. O Espiritismo ainda não se difundiu, conforme meus olhos de clarividente registram, justamente por causa desta falta de disciplina. Os meios de manipulação de forças nos trabalhos são propícios à perfeição, dependendo unicamente da humildade e disciplina de cada médium. Se um médium incorporar sem disciplina, seu Doutrinador poderá ser chamado à atenção, severamente, por mim!” (Tia Neiva, 7.5.74)

“Mestres Luas, aparás, vejam a maravilha que está acontecendo naquela Estrela Candente! Uma maravilha deste século – as Sereias! Elas não falam. Só emitem ectoplasma, só emitem Luz. Elas não vêm para orientar o Homem em sua conduta. Elas já encontram todos com uma conduta perfeita… Assim somos nós, aparás! (…) Nós estamos aqui para trazer a Luz do Céu. Nós somos porta-vozes do Céu. Não se preocupem com o destino do Homem, porque, aqui na Terra, mesmo com um anjo dentro de nosso coração, não temos a capacidade de remover um Homem sem sentimentos, um Homem desajustado. Nós temos capacidade para remover, nós temos capacidade para muito mais, se soubermos, se nos compenetrarmos do nosso papel, mas do papel sem refúgio, este papel pelo qual o Espírito da Verdade nos guia, curando, emanando, isto sim, sem pretensão de ficarmos ali num Trono, ou onde quer que seja, com espírito de profeta ou profetiza! Esta é uma das coisas mais erradas que ainda temos, um ranço aqui na nossa Corrente. A maioria dos aparás diz assim para mim: Tia, estou ouvindo a minha comunicação! Eu sempre repilo: Você está ouvindo a comunicação do Preto Velho! Salve Deus!(…) Lembrem-se, apenas, de que são aparelhos divinos, que são medianeiros, que atraem todas as forças benditas do Céu e que têm capacidade perante suas consciências… Às vezes, se assustam, pensando estar mistificando. Somente essa consciência bendita pode impedir, muitas vezes, um desajuste maior! (…) Quero que vocês, doutrinadores e médiuns de incorporação, que tanto bem vêm fazendo a esta Humanidade, nos Tronos ou onde estiverem lembrem-se somente de uma coisa: que ali estão manipulando uma força cristã, transformada no Cristianismo, para uma Nova Era. Quando chegar um paciente perto de vocês, não se preocupem com a mensagem do Preto Velho… doutrinária, somente doutrinária! E lembrem-se de que, acima deste trabalho, o trabalho de atender a uma pessoa, ali vocês estão fazendo uma caridade transcendental. E é só abrir os seus olhos físicos e ver: um homem doente, desajustado, ao qual vocês estão fazendo a caridade, procurando reajustar aquele paciente, com toda a consciência. Graças a Deus, vocês estão fazendo um trabalho transcendental. Muitas vezes, deste paciente vocês estão tirando um monstro, um impostor, que está desfazendo e desajustando, às vezes, dezenas de famílias… Um só!” (Tia Neiva, 27.6.76)

“A Centúria do Doutrinador não me emocionou tanto como a do mestre Apará. Esta Centúria significa para nós, Aparás, a Chave de um portal de desintegração para mundos ainda desconhecidos nesta encarnação, a vocês. Lembro-me de quando recebi esta Chave e, com ela, percorri uma grande parte deste Universo! Deste Universo, aqui na Terra e no espaço. Recebi todo o conhecimento e energia, andei e me transportei mil vezes, para trazer ao Doutrinador tudo o que temos e o muito que ainda vamos receber. Receberam esta Chave, e com ela vão adquirir mil conhecimentos como eu recebi! Jesus lhes dê as forças necessárias, aquela força que recebi há vinte anos. O Apará é um filho querido, como o Doutrinador. O Apará não é um médium comum de incorporação.” (Tia Neiva, 16.3.78)

“A Centúria significa, para o mestre Apará, a Chave de um portal de desintegração aos mundos ainda desconhecidos, nesta encarnação, a vocês. Com esta Chave, você vai adquirir mil conhecimentos, como eu recebi. Jesus lhe dê as forças necessárias para cumprir, com perfeição, sua tarefa cármica e possa sentir-se um Homem plenamente realizado. Possua sempre a paz interior, que é indispensável para que seu Sol Interior possa irradiar e iluminar sua luz a todo este Universo! Conheço bem os seus caminhos, e peço por você em meus trabalhos.” (Tia Neiva – Carta Aberta n. 6, 9.4.78)

“Meu filho Jaguar Raio Lunar! Da Comunicação do Poder na ordem e no amor, neste universo perfeito, muito tens a revelar porque, filho, as estrelas do teu caminho vivem em ti, buscando e reparando em tua boca e em teus ouvidos, dando conta de teus misteres. Não temas, não te amedrontes diante da posteridade. Porém, saibas que pelo poder do teu juramento muito tens a respeitar. Tomaste o CÁLICE que percorre todo o teu ser, entregaste a tua VOZ a bem do Espírito da Verdade! E hoje, filho querido do meu coração, recebestes, em troca, o CANTO UNIVERSAL! Todo o universo ouve o juramento que fizestes, com as seguintes palavras: Ó, SENHOR, FIRA-ME QUANDO MEU PENSAMENTO AFASTAR-SE DE TI! E mais, ao tomar o Cálice: ESTE É O TEU SANGUE QUE CORRE EM TODO O MEU SER. NINGUÉM JAMAIS PODERÁ CONTAMINAR-SE POR MIM! De Deus terás tudo por estas palavras. Amando cada vez mais, o Teu Pai.” (Pai Seta Branca, 30.12.78)

“Sabemos que nossas vidas são governadas pelos nossos antepassados e que tudo vem do princípio doutrinário que nos rege. A vontade tem sua origem na sensitividade, com predominância na fonte de energia que nos dá a faculdade da inteligência, na consciência animal que se transforma na sensibilidade cristã, a consciência espiritual. Sim, filho, a consciência espiritual. Aparelho anímico ou material psíquico, constituído pela memória, atenção, percepção, compreensão e cristianismo, sempre iluminado pela razão. Em ti, filho, refletimos todos os atos da força absoluta que vem de Deus Todo Poderoso. E para que possamos condenar sem precipitação, o teu comportamento é o único sentimento a ser julgado. Você, filho Jaguar, RAIO LUNAR, é a própria revelação. Sim, muitas vezes, um aparelho em sua conduta moral agasalha um espírito das Trevas, dando-lhe a oportunidade de ser gente, isto é segurando suas terríveis e pesadas vibrações e, com amor, o deixa falar ou promover um diálogo com o Doutrinador. Filho, muitas vezes, eu, tua mãe clarividente, vejo muitas oportunidades perdidas: um feroz exu que, por falta de um diálogo, poderia voltar para Deus. No entanto, só diz heresias por falta do bom comportamento do sensitivo. Filho, todos nós precisamos de carinho e, eles, apesar do seu endurecimento, são carentes de amor. Eis a razão do Doutrinador, em Cristo Jesus, sabendo conduzir o anjo e o demônio em sua conduta doutrinária. É assim, filho, um aparelho sensitivo espiritual pelo qual as forças extrasensoriais se manifestam. Por conseguinte, você é o próprio poder da Justiça, se engrandece ou se condena. Sim, a consciência fecha o ciclo evolutivo da força psíquica sensitiva. Então, filho, com um pouco de reflexo poderá concluir as mensagens e se souber colocar esta candeia viva nos mais tristes recantos da dor, mais uma vez poderá aliviar e esclarecer os incompreendidos. TANOAÊ, filho, é um poder que emite sua força no vento, nas tempestades. Tanoaê tem poderes de manipular forças, abrindo o neutrôm, para levar sua mensagem e fazer a sua reparação. Não é justo, filho, depois da incorporação, ficar em dúvida: Será que incorporei? Será que foi o Preto Velho ou o Caboclo? Não foi somente um impressão minha? É triste para os nossos mentores que se apressam para que saia tudo com a precisão do Espírito da Verdade. Trata-se de um conjunto, de um ritmo de aparência, de encantos, de energia. Não podemos designar este sentimento de amor. É o coroamento das virtudes, é muito mais científico do que pensamos. Quando solicitamos um incorporação, uma enorme e complexa força se faz em nós. Seria bastante os cruzamentos destas forças para a cura desobsessiva, quanto mais que sabemos da presença de Caboclos e Pretos Velhos. Contamos ou marcamos um história que o velho mundo ensinou, quando surgiu o cristianismo. Subiram os Deuses Alexandrinos e o Mitra Solar para combater a adivinhação, os adivinhos, porque, além da sua magia, formaram um grande comércio. E a religião não sobrevive ao lado dos adivinhos, dos magos ou pitonisas. Condena-se os adivinhos porque predizem sem intervenção divina. Muitas vezes, pensamos que somos obrigados a dizer o que exige a nossa real intuição. Não, absolutamente, a profecia ou adivinhação é algo muito perigoso. A nossa obrigação em Cristo, na Lei de Auxílio, é procurar, pois, a nossa luz íntima, oferecendo, aceitando e confiando o máximo de nós sem pedir nada em troca, isto é, nem mesmo a vaidade pelos fenômenos de que somos portadores. Estamos no caminho dos homens e, por isso, devemos nos resguardar de cada coisa. Uma expressão diferente para fazer luz desde as manifestações dos humildes dos planos inferiores, desta natureza em sua feição divina, porque até o mar profundo sabe agasalhar sua natureza. Sim, a função do duplo é servir como condutor e condensador de energia e de emanações ectoplasmáticas entre o perispiritual e o físico. É um processo no centro de forças que denominamos chakras. Neamze, um rica pitonisa, que estarrecia a todos com sua força, seu poder, de qualquer forma era eficiente. Sim, ainda se falava em AMON-ZEUS por todo o Egito. ORÁCULO DE AMON-ZEUS. Neamze era uma das divinas, após curar o filho de Thunis, fez uma adivinhação: Preconizou a morte de sua escrava preferida. Thunis ficou furioso e esperou o dia fatídico, porém, a escrava não morreu naquele dia. Então, Thunis esqueceu do que recebera e pensou: Foi a fatalidade que decidiu a cura de seu filho e, acusando-a de impostora, mandou matá-la. Três dias depois, sua escrava morreu, também, porém, seu filho foi feliz e nada lhe aconteceu, Thunis foi infeliz por toda sua vida. No entanto, tudo era tão lindo antes da adivinhação. Sim, não se preocupe se o seu Mentor não é adivinho. Partimos, filhos, para os curadores ou curandeiros. Não são médiuns Aparás – ou são e não se desenvolveram – e fazem suas curas pelo seu canal de emissão que Deus lhes proporcionou. Pagam, na maioria das vezes, os velhos débitos pelas críticas dos que são curados. A percepção é algo perigoso. O médium que tenha a faculdade de percepção, vive sempre triste por suas percepções. Eu, com toda a minha clarividência, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, sofro por não saber assimilar uma visão. Filho, para ser um verdadeiro medianeiro, viver emitindo a voz direta do céu é preciso única e exclusivamente a sua conduta doutrinária ao lado do seu Mentor, para sustentar a sua emissão. Sim, filho, o desenvolvido recebe a sua emissão. Emissão é um canal na linha horizontal, que capta as forças que atravessam o neutrôm. O médium desenvolvido é responsável por dois canais de emissão que se cruzam e são ligados em seu interoceptível, formando seu equilíbrio na conduta doutrinária. Vê-se o poder que se levanta em um Mestre Lunar. Observem, também, que o simples Apará, em força ou emissão menor, também tem suas emissões diretas. Sem mestres iniciados, o médium que não tem suas emissões em heranças transcendentais, está sempre em desequilíbrio. Sim, o interoceptível é como uma balança onde nossa cabeça é o fiel desta balança. Pesando só terra entra em equilíbrio. Salve Deus, meu filho! Que Jesus nos ilumine nesta jornada.” (Tia Neiva, 8.4.79)

“O Quinto Yurê Vancares ou Cautanenses, após receber a instrução de sua Estrela, terá a força necessária e precisa para certos comandos. No entanto, um Quinto Yurê ou Mestre Lua não pode sentar sozinho numa Cassandra, porque ele entra nas Sete Linhas de Olorum e vai formando a sua vibração fluídica, podendo, assim, atrapalhar todo o comando de um Trabalho Oficial.” (Tia Neiva, 21.8.83)

“O médium, em geral, tem a mediunidade na mente, e é hora de tirar os seus reflexos negativos pelos positivos, com muito cuidado, sem apavorá-los. Tudo é Deus, tudo é bom, desde que não se insista em andar errado. Dizemos que a mediunidade é um fator biológico, que se altera no plexo mil vezes, do seu infeliz condutor, daqueles a quem chamamos de grandes médiuns! Sim, esta mediunidade, alterada por qualquer desequilíbrio psíquico, começa a encharcar o fígado, o baço, enfim, se fazendo cada vez mais infeliz. Ser um Doutrinador… Ser um Apará… Estão na mesma situação! Não há distinção de mediunidade, porque os plexos são idênticos. Não há diferença, absolutamente, a ponto de levar longe suas manifestações. Agora, por exemplo: o Apará ficar como Doutrinador? Sim! Enquanto Doutrinador, com manifestações de um Apará, são irradiações de um médium passista e, justamente, os perigos: não recebe diretamente do Preto Velho e fica com manifestações alteradas, fato que não se passa aqui na Doutrina. As consagrações lhe modificam, seja qual for o caso. Quanto ao Apará insistir em ser Doutrina, tudo bem. A perda é bem menor, porque está livre de uma interferência. A interferência é proveniente do aparelho com preocupações, sem conhecimento ou vaidoso. Qualquer espírito penetra, e faz sua maldade. Vejam quantas infelicidades poderá fazer!… E de seu plexo nada poderá oferecer. Geralmente, se descrêem da Doutrina, a ponto de deixá-la. O Doutrinador é responsável pelo que faz o Apará. A interferência de um espírito cobrador em um Trono, como inúmeros casos que eu conheço, por displicência do Doutrinador, pode arrasar a vida de um Homem. Sim, o Doutrinador é a única testemunha defesa. A mediunidade deverá ser desenvolvida somente no Templo, com os Instrutores. (…) Primeiro, o sermão ou aula de prática; depois a técnica, sob os olhos e ao alcance dos Instrutores, quando e sempre lhes explicando o fenômeno do extrasensorial, que o Apará não vai ver sua incorporação, e que tudo vem de Deus, e só de Deus. (…) Cuidado, porque, no médium em decadência, a deformação da mente é total. Em consequência, por este desequilíbrio, se apresentam projeções, vozes, etc. No caminho desta nova jornada, por momentos, podemos sentir o absurdo e o contraditório em nossas condições humana e social. Porém, tão logo haja uma disciplina doutrinária ao alcance deste mundo, veremos juntos o Céu e a Terra. (…) O médium em desenvolvimento se manifesta pela projeção luminosa e nunca pela projeção de espíritos sofredores, isto é, nunca pelas trevas. Somente os luminosos Iniciados podem, com seus instrumentos, fazer uma projeção em fonia e manifestar-se em um aparelho. É algo tão puro que eu tenho ordens de Jesus para dizer: Está incorporado!” (Tia Neiva, 13.9.84)